sexta-feira, 3 de março de 2017

SEU CÃO NÃO GOSTOU DE ALGUÉM? A CIÊNCIA MOSTRA QUE ELE TEM RAZÃO

Todo mundo fala que cachorros têm um sexto sentido para descobrir se uma pessoa gosta ou não de você. Pois uma pesquisa recente acaba de confirmar a teoria.
Resultado de imagem para cão desconfiadoE o contrário também é verdadeiro – seu bichinho de estimação sabe quando seus donos estão sacaneando alguém e usam essas informações para definir como interagir com eles.
A pesquisa de um grupo da Universidade de Kyoto (Japão), publicada em janeiro na revista “Neuroscience & Biobehavioral Reviews”, analisou como cães e seus donos reagiam em uma situação hipotética: o dono do pet deveria fingir que não conseguia abrir uma caixa e pedir ajuda para dois pesquisadores. Um dos cientistas se recusava a ajudar, enquanto outro era bem mais prestativo.
Após esta cena, os dois pesquisadores ofereciam um biscoito ao cachorro. 
Quanto mais grossa fosse a recusa do pesquisador em ajudar, menos os cães 
analisados estavam dispostos a aceitar o quitute.

Os cientistas concluíram que os bichinhos eram capazes de julgar se uma pessoa era boa ou ruim e tratá-los de acordo com a forma que seu dono foi tratado.
Ou seja: confie quando seu cãozinho parecer não gostar de alguém – ele pode ter visto mais do que você imagina.
Fonte: UOL

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Cães sonham com seus donos !!

  'É provável que seu cão esteja sonhando com sua cara', revelou a psicóloga Deirdre Barrett, que leciona a disciplina Psicologia Clínica e Evolucionária na Escola Médica de Harvard, deu uma entrevista sobre sonhos de animais à revista People.
   Humanos sonham sobre as coisas que lhes interessam no cotidiano, apesar de mais visuais e menos lógicas. Não há razão para pensar que os animais são diferentes. A partir do ponto em que os cães são extremamente ligados a seus donos humanos, é provável que seu cachorro esteja sonhando com a sua cara, seu cheiro, e te alegrar ou te provocar", afirmou Deirdre.

A "descoberta" gerou grande repercussão na internet, e donos de bichinhos estão animados e emocionados com a possibilidade de que seus cães estejam sonhando com seus donos.

O Estado de S.Paulo

domingo, 28 de agosto de 2016

As mulheres vêem os cães como seus filhos

terça-feira, 26 de julho de 2016

"Caso Braddock" Parte I- Divórcio

Homem consegue a guarda compartilhada de cão após divórcio

Dono do cão ficou sem ver o animal de estimação durante quatro meses. 
Homem ganhou o direito de passar duas semanas do mês com o buldogue.


Com quem deve ficar o animal de estimação na hora da separação? No Brasil, ainda não há uma lei para esse tipo de caso e cabe a justiça interferir. Só neste ano, três casos foram parar na justiça do Rio de Janeiro.
Voltar a passear todos os dias pela manhã com o Braddock foi um alívio. Bruno Gameiro estava com saudade do cachorro.
“O Braddock sempre foi um grande companheiro. É muito bom você chegar em casa e ter alegria de um animal de estimação, sempre muito alegre, cativante. A gente acabou criando uma relação muito gostosa, muito legal, de amizade mesmo, que um animal de estimação, só um animal de estimação pode proporcionar, quem tem sabe o que eu estou falando”, conta.
O Bruno comprou o buldogue francês quatro meses antes de casar. Durante o casamento, o cachorro era o xodó da família, mas a relação não deu certo e terminou cinco meses depois. A decisão sobre a posse do Braddock foi parar na justiça.
Depois da separação, a ex-mulher de Bruno ficou com o cachorro. Ele diz que ficou sem ver o animal de estimação durante quatro meses. “Simplesmente a resposta era negativa, por mais que eu sempre tivesse assumido o compromisso de devolvê-lo, de fazer de forma bastante honesta”, conta Bruno.
O advogado de Bruno entrou com uma ação cautelar pedindo a posse compartilhada do cão.
“É um caminho novo que o direito tende a seguir esse caminho. Hoje em dia o animal de estimação não pode ser tratado como um simples bem justamente pelo valor sentimental que ele tem”, esclarece o advogado Ricardo Silveira.
Bruno ganhou o direito de passar as duas primeiras semanas do mês com o buldogue. Mas o juiz só vai decidir sobre a guarda definitiva do filhote em maio, depois de uma audiência.
“Eu sei que ele é bem cuidado, também não espero que ele seja mal cuidado, eu também quero o melhor para ele também. Se realmente conviver com as duas partes para ele for algo saudável eu quero sim que ele possa desfrutar disso também, como a gente adora desfrutar da companhia dele”, fala Bruno.
A equipe do Jornal Hoje falou com a advogada da ex-mulher de Bruno e ela só vai se pronunciar quando sair a decisão do juiz, em maio.
Renata Capucci
                 

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Como os gatos caem em pé?

Como os gatos caem em pé?


Passo a passo, manobra por manobra, entenda como os gatos sobrevivem a grandes tombos

1.Mamíferos têm um sistema de orientação, chamado vestibular, dentro do ouvido. O dos gatos é mais sensível que o normal. Um aumento de pressão na região identifica que a cabeça não está na posição correta.

2. O cérebro interpreta as informações e manda sinais elétricos para o aparelho locomotor. Os músculos recebem o comando para virar o corpo. A cabeça é a primeira parte a girarem busca de equilíbrio.

3. Em seguida o gato gira a parte superior do tronco. Ele faz isso antes do resto do corpo porque os ombros não são fixos ao esqueleto principal - gatos não têm clavícula. As patas dianteiras se estendem e protegem a cabeça do impacto, além de ajudar na orientação.

4. As patas traseiras giram para se alinhar à parte da frente. O rabo funciona como uma cauda de avião, estabilizando a rotação.

5. A coluna é arqueada e as patas se estendem para aumentar o atrito com o ar. A postura serve como um tipo de planador, diminuindo a velocidade com que o gato chega ao chão.

6. Na aterrissagem,
 seu tamanho pequeno e seus ossos leves também ajudam a reduzir o impacto. Em queda livre, gatos alcançam até 100 km/h - metade da velocidade terminal do corpo humano na mesma situação.

Fonte: Archivaldo Reche, professor de veterinária da USP.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Os benefícios de acariciar o nosso cão

Os benefícios de acariciar o nosso cão



Alguma vez você já percebeu como se sente melhor quando você está perto de seu animal de estimação?
 Se já teve essa impressão, esclarecemos que ela está completamente certa. Passar tempo de qualidade com um cão, gato ou outro animal pode ter um impacto positivo em seu estado de ânimo e em sua saúde, por isso hoje lhe falaremos um pouco mais sobre os muitos benefícios de acariciar ao nosso cão.
De acordo com o psicólogo americano Alle R. McConnell, professor da Universidade de Miami, aquelas pessoas que convivem com animais tendem a ter um melhor estado de humor do que aquelas que não convivem com nenhum. Em especial, quando a relação com o animal é de boa qualidade, pois isso pode variar um pouco dependendo de situações como as espaciais, o ruído, etc.
Algo que parecem ter em comum os donos de cães é que estes permanecem mais ativos, seja porque cuidar do animal de estimação implica em ter que sair para passear, brincar em casa ou no parque.
Mas além disso, os cães dão amostras muito significativas de afeto, em especial quando nós os acariciamos com frequência e, além do mais, isso também é muito benéfico para a saúde do dono, vejamos alguns motivos:
-Ajudam a ter um coração mais saudável
Além dos benefícios que representam para o coração ter uma vida mais ativa, os donos de cães tendem a ter uma menor pressão arterial, principalmente porque não se sufocam tanto já que costumam desabafar falando e acariciando o animal de estimação.
Igualmente, as pessoas que sofreram ataques do coração, ou que possuem alguma outra anomalia cardíaca, e que têm um cão, têm uma melhor qualidade de vida e de saúde do que aquelas que, nessas mesmas condições de saúde, não têm um cão.
-Diminui o estresse
Possivelmente, o maior benefício de acariciar aos animais de estimação está relacionado com a redução dos níveis de estresse.
Acariciar o seu cão fará você se sentir muito melhor, em especial em casos de depressão. Acariciar ao seu cão ajudará ao seu corpo a liberar um hormônio relaxante, que fará com que os seus níveis de estresse sejam reduzidos.
Além disso, o contato físico também parece aliviar o estresse dos animais de estimação, além de fortalecer o vínculo entre ambos e melhorar a convivência.
-Melhora a sua relação com os outros
Os animais, especialmente os cães, podem te ajudar a se conectar com outras pessoas. Isto não só se deve ao fato de que as pessoas tendem a conversar com outras durante os passeios e a programar novas saídas com os seus animais de estimação.
O fato de acariciar aos cães ensina às pessoas o sentido de responsabilidade e de amparo sobre o outro. Já que o cão é absolutamente dependente de seu dono, basicamente a integridade física deste se encontra em suas mãos.
O contato físico ajuda a fortalecer a relação entre o cão e a pessoa, que muitas vezes chega a comparar-se com o amor que os pais sentem pelos filhos. Dessas relações, começa-se a gerar um dever dentro das interações humanas, que termina impactando positivamente as relações sociais do dono.
Contribuições adicionais de se ter um cão em casa
-Melhora seu estado de ânimo
As pessoas com animal de estimação são geralmente mais felizes, têm mais confiança, e são menos solitárias que aquelas que não têm um animal de estimação. Também visitam o médico com menos frequência por problemas menores (dores de cabeça, de costas ou gástricas.)
Uma das razões que podemos atribuir a isto é o grande sentido de pertença e significado que nos dá o nosso animal de estimação, pois por ser o cão absolutamente dependente de nós, ele nos faz nos sentirmos responsáveis e parte de algo importante.
-Beneficia o sistema imunológico do bebê
Os bebês criados em famílias que têm algum animal de estimação costumam ser menos propensos a alergias e a asma, segundo demonstram alguns estudos.
Entretanto, para que isso ocorra, o contato deve começar de maneira precoce, idealmente antes que o bebê tenha 6 meses de vida. Os bebês com cães ou gatos em casa, além de tudo isso, sofrem menos de resfriados e infecções de ouvido durante o primeiro ano de vida.
Apoio as crianças com dificuldades de se socializarem
As crianças que têm autismo tendem a se relacionar melhor com seus companheiros de classe quando têm um animal de estimação em casa. Esse fenômeno aumenta ainda mais quando o animal de estimação os acompanha na sala de aula; isto se deve ao fato de que os animais transformam o ambiente educativo e ajudam a integrar a aqueles que têm dificuldades para interagir.                                                                                                                  fonte:meusanimais

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Filhotes pedem...

Latidos de um filhote para seus pais

 
·         Não tenham medo de serem firmes comigo. Prefiro assim. Isto faz com que me sinta mais seguro.

·         Não  me estraguem. Sei que não devo ter tudo que desejo. Só estou experimentando vocês.

·         Não deixem que eu adquira maus hábitos (Ex. morder brincando, pedir comida na mesa, pular nas pessoas....). Não me corrijam com raiva. Aprenderei muito mais se falar com calma e me corrigir no momento certo, sempre olhando nos meus olhinhos !!!!!

·         Não mostrem que não podem me controlar, me sentirei mais forte do que vocês.

·         Não me obedeçam , se eu pedir alimentação fora de hora, preciso aprender a respeitar as regras e fixar que vocês determinam o horário da minha alimentação, se não vou tentar pegar este seu cargo que tanto almejo: a dominância.

·         Gosto muito de carinhos, mas quanto mais eu receber e quanto mais ficar próximo a vocês, mais dependente ficarei, e isso não é legal para nós. Pois quero ser feliz também sem a presença de vocês.

·         Adoro passear isso me deixa feliz, distraio bastante, fico com vocês e gasto muita energia, mas não esqueçam de me corrigir preciso sempre andar com a guia  ao lado ou atrás de vocês.

·         Gosto e preciso ter meu cantinho na minha casa, para relaxar e deixar vocês também relaxarem, não posso ficar grudado em vocês o tempo todo isso não é saudável para mim nem para vocês.

·         Sei que me tratam como filho, de fato sou ,mas muitas vezes esquecem que sou um Cãozinho, que tenho meus instintos e minhas necessidades.


Amo muito vocês e devo sempre ser muito grato pelo carinho e pelo amor que me dedicam, por isso rosnar e agredir vocês é mais que inadmissível.

            
                                                                                         Auuuuu!!!


                                                                                                                   Jackline Pinto (12) 98877-1614
Médica Veterinária-Terapeuta Floral-Comportamental
floralpet@gmail.com