sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Cães sonham com seus donos !!

  'É provável que seu cão esteja sonhando com sua cara', revelou a psicóloga Deirdre Barrett, que leciona a disciplina Psicologia Clínica e Evolucionária na Escola Médica de Harvard, deu uma entrevista sobre sonhos de animais à revista People.
   Humanos sonham sobre as coisas que lhes interessam no cotidiano, apesar de mais visuais e menos lógicas. Não há razão para pensar que os animais são diferentes. A partir do ponto em que os cães são extremamente ligados a seus donos humanos, é provável que seu cachorro esteja sonhando com a sua cara, seu cheiro, e te alegrar ou te provocar", afirmou Deirdre.

A "descoberta" gerou grande repercussão na internet, e donos de bichinhos estão animados e emocionados com a possibilidade de que seus cães estejam sonhando com seus donos.

O Estado de S.Paulo

domingo, 28 de agosto de 2016

As mulheres vêem os cães como seus filhos

terça-feira, 26 de julho de 2016

"Caso Braddock" Parte I- Divórcio

Homem consegue a guarda compartilhada de cão após divórcio

Dono do cão ficou sem ver o animal de estimação durante quatro meses. 
Homem ganhou o direito de passar duas semanas do mês com o buldogue.


Com quem deve ficar o animal de estimação na hora da separação? No Brasil, ainda não há uma lei para esse tipo de caso e cabe a justiça interferir. Só neste ano, três casos foram parar na justiça do Rio de Janeiro.
Voltar a passear todos os dias pela manhã com o Braddock foi um alívio. Bruno Gameiro estava com saudade do cachorro.
“O Braddock sempre foi um grande companheiro. É muito bom você chegar em casa e ter alegria de um animal de estimação, sempre muito alegre, cativante. A gente acabou criando uma relação muito gostosa, muito legal, de amizade mesmo, que um animal de estimação, só um animal de estimação pode proporcionar, quem tem sabe o que eu estou falando”, conta.
O Bruno comprou o buldogue francês quatro meses antes de casar. Durante o casamento, o cachorro era o xodó da família, mas a relação não deu certo e terminou cinco meses depois. A decisão sobre a posse do Braddock foi parar na justiça.
Depois da separação, a ex-mulher de Bruno ficou com o cachorro. Ele diz que ficou sem ver o animal de estimação durante quatro meses. “Simplesmente a resposta era negativa, por mais que eu sempre tivesse assumido o compromisso de devolvê-lo, de fazer de forma bastante honesta”, conta Bruno.
O advogado de Bruno entrou com uma ação cautelar pedindo a posse compartilhada do cão.
“É um caminho novo que o direito tende a seguir esse caminho. Hoje em dia o animal de estimação não pode ser tratado como um simples bem justamente pelo valor sentimental que ele tem”, esclarece o advogado Ricardo Silveira.
Bruno ganhou o direito de passar as duas primeiras semanas do mês com o buldogue. Mas o juiz só vai decidir sobre a guarda definitiva do filhote em maio, depois de uma audiência.
“Eu sei que ele é bem cuidado, também não espero que ele seja mal cuidado, eu também quero o melhor para ele também. Se realmente conviver com as duas partes para ele for algo saudável eu quero sim que ele possa desfrutar disso também, como a gente adora desfrutar da companhia dele”, fala Bruno.
A equipe do Jornal Hoje falou com a advogada da ex-mulher de Bruno e ela só vai se pronunciar quando sair a decisão do juiz, em maio.
Renata Capucci
                 

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Como os gatos caem em pé?

Como os gatos caem em pé?


Passo a passo, manobra por manobra, entenda como os gatos sobrevivem a grandes tombos

1.Mamíferos têm um sistema de orientação, chamado vestibular, dentro do ouvido. O dos gatos é mais sensível que o normal. Um aumento de pressão na região identifica que a cabeça não está na posição correta.

2. O cérebro interpreta as informações e manda sinais elétricos para o aparelho locomotor. Os músculos recebem o comando para virar o corpo. A cabeça é a primeira parte a girarem busca de equilíbrio.

3. Em seguida o gato gira a parte superior do tronco. Ele faz isso antes do resto do corpo porque os ombros não são fixos ao esqueleto principal - gatos não têm clavícula. As patas dianteiras se estendem e protegem a cabeça do impacto, além de ajudar na orientação.

4. As patas traseiras giram para se alinhar à parte da frente. O rabo funciona como uma cauda de avião, estabilizando a rotação.

5. A coluna é arqueada e as patas se estendem para aumentar o atrito com o ar. A postura serve como um tipo de planador, diminuindo a velocidade com que o gato chega ao chão.

6. Na aterrissagem,
 seu tamanho pequeno e seus ossos leves também ajudam a reduzir o impacto. Em queda livre, gatos alcançam até 100 km/h - metade da velocidade terminal do corpo humano na mesma situação.

Fonte: Archivaldo Reche, professor de veterinária da USP.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Os benefícios de acariciar o nosso cão

Os benefícios de acariciar o nosso cão



Alguma vez você já percebeu como se sente melhor quando você está perto de seu animal de estimação?
 Se já teve essa impressão, esclarecemos que ela está completamente certa. Passar tempo de qualidade com um cão, gato ou outro animal pode ter um impacto positivo em seu estado de ânimo e em sua saúde, por isso hoje lhe falaremos um pouco mais sobre os muitos benefícios de acariciar ao nosso cão.
De acordo com o psicólogo americano Alle R. McConnell, professor da Universidade de Miami, aquelas pessoas que convivem com animais tendem a ter um melhor estado de humor do que aquelas que não convivem com nenhum. Em especial, quando a relação com o animal é de boa qualidade, pois isso pode variar um pouco dependendo de situações como as espaciais, o ruído, etc.
Algo que parecem ter em comum os donos de cães é que estes permanecem mais ativos, seja porque cuidar do animal de estimação implica em ter que sair para passear, brincar em casa ou no parque.
Mas além disso, os cães dão amostras muito significativas de afeto, em especial quando nós os acariciamos com frequência e, além do mais, isso também é muito benéfico para a saúde do dono, vejamos alguns motivos:
-Ajudam a ter um coração mais saudável
Além dos benefícios que representam para o coração ter uma vida mais ativa, os donos de cães tendem a ter uma menor pressão arterial, principalmente porque não se sufocam tanto já que costumam desabafar falando e acariciando o animal de estimação.
Igualmente, as pessoas que sofreram ataques do coração, ou que possuem alguma outra anomalia cardíaca, e que têm um cão, têm uma melhor qualidade de vida e de saúde do que aquelas que, nessas mesmas condições de saúde, não têm um cão.
-Diminui o estresse
Possivelmente, o maior benefício de acariciar aos animais de estimação está relacionado com a redução dos níveis de estresse.
Acariciar o seu cão fará você se sentir muito melhor, em especial em casos de depressão. Acariciar ao seu cão ajudará ao seu corpo a liberar um hormônio relaxante, que fará com que os seus níveis de estresse sejam reduzidos.
Além disso, o contato físico também parece aliviar o estresse dos animais de estimação, além de fortalecer o vínculo entre ambos e melhorar a convivência.
-Melhora a sua relação com os outros
Os animais, especialmente os cães, podem te ajudar a se conectar com outras pessoas. Isto não só se deve ao fato de que as pessoas tendem a conversar com outras durante os passeios e a programar novas saídas com os seus animais de estimação.
O fato de acariciar aos cães ensina às pessoas o sentido de responsabilidade e de amparo sobre o outro. Já que o cão é absolutamente dependente de seu dono, basicamente a integridade física deste se encontra em suas mãos.
O contato físico ajuda a fortalecer a relação entre o cão e a pessoa, que muitas vezes chega a comparar-se com o amor que os pais sentem pelos filhos. Dessas relações, começa-se a gerar um dever dentro das interações humanas, que termina impactando positivamente as relações sociais do dono.
Contribuições adicionais de se ter um cão em casa
-Melhora seu estado de ânimo
As pessoas com animal de estimação são geralmente mais felizes, têm mais confiança, e são menos solitárias que aquelas que não têm um animal de estimação. Também visitam o médico com menos frequência por problemas menores (dores de cabeça, de costas ou gástricas.)
Uma das razões que podemos atribuir a isto é o grande sentido de pertença e significado que nos dá o nosso animal de estimação, pois por ser o cão absolutamente dependente de nós, ele nos faz nos sentirmos responsáveis e parte de algo importante.
-Beneficia o sistema imunológico do bebê
Os bebês criados em famílias que têm algum animal de estimação costumam ser menos propensos a alergias e a asma, segundo demonstram alguns estudos.
Entretanto, para que isso ocorra, o contato deve começar de maneira precoce, idealmente antes que o bebê tenha 6 meses de vida. Os bebês com cães ou gatos em casa, além de tudo isso, sofrem menos de resfriados e infecções de ouvido durante o primeiro ano de vida.
Apoio as crianças com dificuldades de se socializarem
As crianças que têm autismo tendem a se relacionar melhor com seus companheiros de classe quando têm um animal de estimação em casa. Esse fenômeno aumenta ainda mais quando o animal de estimação os acompanha na sala de aula; isto se deve ao fato de que os animais transformam o ambiente educativo e ajudam a integrar a aqueles que têm dificuldades para interagir.                                                                                                                  fonte:meusanimais

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Filhotes pedem...

Latidos de um filhote para seus pais

 
·         Não tenham medo de serem firmes comigo. Prefiro assim. Isto faz com que me sinta mais seguro.

·         Não  me estraguem. Sei que não devo ter tudo que desejo. Só estou experimentando vocês.

·         Não deixem que eu adquira maus hábitos (Ex. morder brincando, pedir comida na mesa, pular nas pessoas....). Não me corrijam com raiva. Aprenderei muito mais se falar com calma e me corrigir no momento certo, sempre olhando nos meus olhinhos !!!!!

·         Não mostrem que não podem me controlar, me sentirei mais forte do que vocês.

·         Não me obedeçam , se eu pedir alimentação fora de hora, preciso aprender a respeitar as regras e fixar que vocês determinam o horário da minha alimentação, se não vou tentar pegar este seu cargo que tanto almejo: a dominância.

·         Gosto muito de carinhos, mas quanto mais eu receber e quanto mais ficar próximo a vocês, mais dependente ficarei, e isso não é legal para nós. Pois quero ser feliz também sem a presença de vocês.

·         Adoro passear isso me deixa feliz, distraio bastante, fico com vocês e gasto muita energia, mas não esqueçam de me corrigir preciso sempre andar com a guia  ao lado ou atrás de vocês.

·         Gosto e preciso ter meu cantinho na minha casa, para relaxar e deixar vocês também relaxarem, não posso ficar grudado em vocês o tempo todo isso não é saudável para mim nem para vocês.

·         Sei que me tratam como filho, de fato sou ,mas muitas vezes esquecem que sou um Cãozinho, que tenho meus instintos e minhas necessidades.


Amo muito vocês e devo sempre ser muito grato pelo carinho e pelo amor que me dedicam, por isso rosnar e agredir vocês é mais que inadmissível.

            
                                                                                         Auuuuu!!!


                                                                                                                   Jackline Pinto (12) 98877-1614
Médica Veterinária-Terapeuta Floral-Comportamental
floralpet@gmail.com

terça-feira, 5 de julho de 2016

Meu cão fica só o dia todo!


Meu cão fica só o dia todo!!


Se vc quer um cãozinho deve pensar muito bem antes, retirar um cãozinho da sua ninhada, dos irmãos e de sua mãe, enfim de todo seu conforto e deixá-lo só o dia inteiro nunca será uma boa opção. Tanto os cães como os gatos gostam e precisam da vida em grupo, em família. 
Essa atitude  de deixar o animal só pode gerar:

- Algumas doenças emocionais- entre elas, Ansiedade de Separação, tristezas, agressividade...
-Animais mal educados- por não terem quem os eduque, que dê limites claros.
-Problemas físicos decorrentes do estresse, da solidão e confinamento- problemas de pele, lambeduras, auto-mutilação...

Se vc já adquiriu um cãozinho e ele fica só o dia todo, o que fazer?

Se a situação já existe , o que podemos fazer para que o cão sofra menos possível?
Primeira coisa é a empatia, isso quer dizer nos colocarmos no lugar dele,
e ver como ele se sente nessa situação. Em seguida pensar no melhor a fazer.

Dicas:

-Dedique o máximo de tempo ao seu animalzinho, faça passeios diários, de preferência 3 vezes ao dia, mínimo de 20 minutos
-Não faça festa ao chegar para não incentivar o comportamento de espera, que gera uma enorme ansiedade.
- Aos finais de semana, leve para um parque ou algum lugar que ele possa correr, brincar livre e solto.
-Eduque o sempre, corrija com amor sempre que ver um comportamento errado, educar é amar e limites são importantíssimos.
-O horário da alimentação deve ser seguido como regra, nunca deve deixar alimento à vontade durante o dia, mas água sim e sempre fresca.
-Evite  brigar com seu animalzinho quando chegar em casa e ver a destruição, lembre-se que ele fica só o dia todo e não tem o que fazer. que tal deixar um ossinho, ou algum brinquedo legal pra que ele se distraia.

Os florais de Bach ajudam demais no equilíbrio emocional dos Filhos Pet, use sempre que necessário, os resultados são maravilhosos. #ficadica

                                                                                                                     Jackline Pinto (12) 98877-1614
Médica Veterinária-Terapeuta Floral-Comportamental
floralpet@gmail.com




sexta-feira, 1 de julho de 2016

Dicas para educar filhotes!





♥ Um filhote que chega a sua casa na idade adequada e com temperamento equilibrado, dará a você menos trabalho em sua educação. 
Mas, atenção: eu disse menos trabalho, não disse nenhum trabalho
E é aí que a maior parte dos erros, na moldagem do comportamento de um cãozinho, começa...


Bom temperamento é trabalho diário, intenso e constante. Bom comportamento exige dedicação e um pouco de conhecimento por parte dos donos.              

Não há como construir um bom temperamento e um bom comportamento se o dono passa o dia inteiro fora de casa e mantém o cão sozinho, trancado no apartamento, rotineiramente

Não há como construir um bom temperamento e um bom comportamento se o dono não ensina seu cão a controlar seus impulsos. 

Não há como construir um bom temperamento e um bom comportamento se o dono é permissivo, consentindo com maus comportamentos do seu cão (exemplos: montar nas pernas das pessoas, montar em outros cães, rosnar para as pessoas, pular na pessoas,morder as pessoas, mesmo que brincando, etc.).


Se você não sabe a maneira apropriada de ensinar seu cão a ser comportado, contrate um profissional comportamentalista que irá lhe guiar - isso pode ser feito virtualmente!

A capacidade de aprendizado, de qualquer cão, não se limita à infância - um cão adulto aprenderá tudo que você se disponibilizar a ensiná-lo, só depende de você querer e se dedicar! 

Cães educados e comportados são mais felizes porque podem frequentar todos os tipos de lugares e dão motivos para serem amados por muitas pessoas diferentes! ♥

Idade ideal de Desmame-3 meses!

1) Idade ideal para ir para nova casa?

O ideal é que os filhotes seja encaminhados para o novo lar com 3 meses de idade. Vc sabe por quê? 
Pois antes disso estão na fase do desenvolvimento e aprendizado, que o convívio com a mãe e os irmãos proporciona, é muito importante na socialização. Rupturas precoces nesse convívio podem vir acompanhadas de problemas. Ir para o novo lar aos 03 (três) meses - ou mais - é a melhor opção.
É durante esse período que o filhote aprenderá a linguagem canina básica com a mãe e com os seus irmãos. Um filhote que passou tempo suficiente nesse ambiente, raramente, vai ser do tipo que, brincando, morde os braços dos donos até machucar. Costumam ser muito mais equilibrados e fáceis de treinar, cedem com mais facilidade, são menos insistentes e aceitam melhor nossos limites.


2) Os animais só devem deixar suas casas após todo esquema vacinal completo.  Até lá, como socializar um filhote, que terá restrições importantes para sair de casa? Como esperar que um filhote, que passou meses isolado dentro de um apartamento, se relacione bem com outros cães e. até, com pessoas diferentes das quais ele está acostumado?  Por isso devemos respeitar os 3 meses para socialização com os irmãos e sua mãe.



3) Um filhote que tem menos de 90 dias está muito mais suscetível a desenvolver doenças em decorrência do estresse da separação de sua família canina.  Podemos citar:
Distúrbios gastrointestinais, infecções de pele e de ouvido são problemas frequentes relatados pelas pessoas que acabam de levar um cãozinho para casa.
Quanto mais novo o cãozinho, maior a probabilidade de problemas acontecerem.
Tente se colocar no lugar do filhote e será fácil imaginar o nível de estresse que eles sentem quando se mudam para uma nova casa: é o abandono de tudo que conhecem para viver em um lugar desconhecido.
Por isso indicamos os Florais para situação de desmame, para desapego tanto para o filhote, quanto para os irmãos e a mãe.



4) Levar para casa um filhote muito novinho é um risco não calculado para quem faz questão de ter um filhote dentro do padrão da raça. Até os 03 (três) meses, os filhotes podem mudar muito... você pode acabar descobrindo que aquele filhotinho fofo não se parece tanto assim com o padrão da raça, depois que crescer (essa situação é comum demais!). 
Além disso, o filhote pode apresentar diferentes alterações durante seu desenvolvimento inicial: dificuldade de ganhar peso, orelhas que não sobem, estrabismo, etc. Lembre-se que o "desenvolver" nem sempre é um processo linear para todos os cães... paciência e segurança andam juntas.



Criadores idôneos e preocupados com o destino de seus filhotes - não importa a raça nem o porte - sabem que cães não devem ser encaminhados antes dos 03 (três) meses de idade e sabem a importância de prover-lhes socialização adequada. Portanto, aconselho fugir de quem insiste em "se livrar" de um filhote muito novinho.



Obviamente, tudo que descrevi aplica-se apenas a quem vai comprar um filhote de um criador responsável, que preza pela saúde física e emocional de seus cães. No caso de filhotinhos abandonados a própria sorte, nas ruas, é importante acolhê-los a qualquer idade e prover-lhes o que necessitam, o quanto antes.  


Educando um Filhote Pet Saudável!

"Dentro dessa "dedicação que deve ser diária" as palavras chaves são coerência e consistência.

Não permito que ele faça, hoje, enquanto é filhote, o que proibirei amanhã, quando ele for um cão adulto. 

Portanto, ele não sobe nos móveis, ele não entra no closet, ele não dorme na cama, ele não sobe no sofá, ele não puxa a coleira, ele não dá mordidas de amor nas pessoas, ele não ganha comida enquanto estamos comendo - hoje e sempre. Isso deve ser com todos membros da família.

Os limites são bem claros e constantes, o sim será sempre sim, o não será sempre não. Isso é necessário na comunicação entre duas espécies diferentes (humanos e caninos) que querem ter uma convivência tranquila e que têm dificuldades naturais para conversar usando o mesmo idioma. 

Além disso, procuramos suprir as necessidades de atividade física e estimulação mental."

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Com quem fica seu Filho Pet?

Com quem  fica com o seu Filho Pet?
Advogados frequentemente veem seus clientes se arrastado em batalhas judiciais sobre a custódia do animal de estimação, especialmente no que diz respeito ao cão da família. Em muitos casos de rompimento de matrimônios o problema gera em torno dos animais de estimação da família, mas não há nenhuma razão para que você e seu ex-parceiro transformem isso em uma verdadeira batalha. Compreender como a lei opera nestas circunstâncias é o primeiro passo para evitar conflitos desnecessários.
Antes de tudo, agradecemos a paixão que os cônjuges sentem pelos seus animais de estimação e  a preocupação com seu bem-estar. Separação de um cônjuge pode criar um estresse significativo e ainda ter que lidar com a perda potencial da companhia de um animal de estimação pode fazer que esse estresse se torne ainda mais desafiador.  Parece em muitos casos que não há solução, mas existem e iremos chegar á elas.
Após a separação, os cônjuges ocasionalmente lutam pela "custódia" de seus filhos pet como fariam com seus filhos humanos. Assim como existem os psicólogos para lidarem com as crianças avaliando e relatando a situação na qual a criança está inserida no momento do divórcio, existem os veterinários comportamentais  capacitados para avaliar o emocional do animal no qual está inserido no momento do divórcio e este poderá sugerir a melhor forma de vida futura após o divorcio para que esse animalzinho sofra o menos possível, devemos entender que esses animais são aos olhos dos amantes dos animais considerados incapazes. E devemos olhar por eles.

Animais são consideradas equivalentes às crianças sob a Lei?
Ainda não, infelizmente. Definindo um animal de estimação em termos legais é difícil por causa do valor que damos sobre as relações que formamos com os nossos animais de estimação. O amor dos proprietários por seus animais de estimação, e muitas vezes com laços especiais , Muitos mimam e cuidam deles como fossem uma criança. 
No entanto, segundo a lei brasileira os animais de estimação não são vistos como crianças, nem são membros da família. Animais de estimação são tratados com objetos, produtos e propriedade. A lei brasileira  tem regras especiais quando se trata de dividir a propriedade que fazia parte de um casamento ou relacionamento conjugal. Portanto iniciamos um novo caminho na busca do bem  estar animal, isso é novo e batalha será longa.
O que sobre o sustento do seu Filho Pet?
Ainda é um assunto muito novo na justiça brasileira e cada caso tem sido analisado individualmente, mas sim se o juiz assim decidir, poderá estipular pensão para o filho pet , para seus gastos básicos, não esquecendo que cada caso é um caso e será avaliado individualmente.
As batalhas judiciais sobre a custódia do animal de estimação
Exemplos no exterior:
*Ex-cônjuges foram ao tribunal muitas vezes para disputar a propriedade de seus peludos entes queridos. Dois ex-parceiros românticos disputavam sua filha pet da raça border collie,chamada Laddie . A Sra. MacDonald referido Sr. Chepper como pai de sua filha pet, e o Sr. Chepper  expressa que a Laddie era como sua filha. Em última análise, o juiz do caso determinou que os parceiros não eram mais cônjuges, e que o apego do Sr. Chepper. era "meramente um sentimental." A propriedade do cão foi detido para ser a Sra MacDonald.
Em  Thompson , 2005, ex-cônjuges levou sua luta sobre seu border collie para o tribunal. As partes discutiram sobre se o cão foi comprado pelo ex-marido como um presente para a ex-esposa. Na preparação para o julgamento, o ex-marido chamou sua ex-mulher para lhe dizer o cão havia morrido. Apesar do que o ex-marido havia dito, o cão  "felizmente, ainda estava vivo." Em última análise, o juiz acreditou história da ex-mulher e declarou que a plena propriedade pertencia à ex-mulher.
Alternativas para evitar uma batalha judicial sobre o seu animal de estimação
As pessoas não devem perder tempo quando se trata de seu Filho Pet. Tribunais são caros, complexos e imprevisíveis. Tente tomar decisões sobre seus animais de estimação sem envolver um juiz .  O juiz é de longe a melhor maneira de resolver essas disputas.
 Partilha de tempo com o animal de estimação de forma equilibrada e sob analise e sugestão de um médico veterinário especializado na área emocional, juntos podem fazer um ótimo cronograma equilibrado e bom também para o Filho Pet. A  partilha de custos, incluindo potenciais contas veterinárias, rações, medicamentos, cuidadores tudo é melhor negociados com a ajuda de mediadores do que através da justiça.
De forma alguma devemos esquecer que os animais de estimação são Filhos Pets e dessa forma devemos trata-los, pensando em primeiro lugar no seu bem estar.

Separação faz casais irem à Justiça por guarda e pensão de animais de estimação

                                                                                                                                                                                                                                                                                      Segundo Rogério Barbosa
                                                                                                                                                                                                                                                                              Do UOL, em São Paulo 05/07/2013

Passados 3 anos dessa reportagem podemos hoje contar com apoio de profissionais especializados, capazes de avaliar a situação geral e aí sim orientar o melhor para o bem estar animal. A consideração pelo bem estar animal deve estar muito acima de qualquer quesito material.
"Considerados por muitos como membros da família, os animais de estimação podem se tornar objeto de disputas na Justiça pela guarda em caso de separação de casais. Situações assim têm sido cada vez mais comuns no Brasil, onde, por falta de uma legislação específica, os bichos são tratados como bem patrimonial.
Valéria Dias vive essa situação. Além de sofrer com uma separação litigiosa teme não poder mais ver Dick, um cão vira-lata de estimação que tratou como filho durante dois anos. Ela conta que não tem condições de criar o animal, mas não abre mão abre mão do direito de visitá-lo. Valéria está separada há quatro meses e, desde que seu ex-marido arrumou outra companheira, a impede de ver o cão.
De acordo com o advogado Mário Veronessi, Dick será mais um cachorro "cãopartilhado" por casais. "Embora não se dê ao animal o status de um ser humano, os acordos homologados na Justiça tendem a se dar nos mesmos moldes da guarda compartilhada de uma criança, inclusive estipulando os dias da semana em que cada pessoa poderá ficar com o animal", disse o especialista.

Animal não tem preferência

De acordo com o advogado, dois pontos são basilares para a definição de com quem fica o animal: a condição financeira e o RGA (Registro Geral Animal). Ele disse que se uma pessoa tem condições de criar o animal, e outra, não, aquela que tem ficará com a guarda, reservado ao outro o direito da visita.
"Não há como ouvir a preferência do animal, assim como ocorre nos processos que envolvem crianças, por isso o próximo passo do juiz é observar no nome de quem o animal está registrado, este costuma ter preferência sobre o outro", afirmou Veronessi.
O advogado disse ainda já haver casos de casais que, assim que adquirem animais, celebram contratos que dizem com quem ficará o bicho em caso de separação.

Pensão alimentícia

Pedidos de pensão alimentícia para animais não são muito comuns na Justiça, mas existem. O entendimento dos juízes têm sido o de que animais não têm direito a pensão alimentícia porque esta só é devida a seres humanos.
Entretanto, um ex-marido, ao celebrar um contrato que definia que dois cachorros ficariam com a mulher em caso de separação, em vez de encontrar facilidades na hora do divórcio acabou arranjando mais dor de cabeça. Isso porque sua mulher entrou com pedido judicial para que ele pagasse R$ 250,00 mensais por cada cão.
A 1ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, ao bater o martelo, decidiu que o ex-marido deve pagar R$ 500 à ex-mulher a título de ajuda de custo até a morte dos animais. Ressaltou a decisão que a condenação se dava por força do contrato firmado entre o casal, já que o animal não tinha direito a pensão alimentícia."
Se vc conhece alguém que está passando por um momento delicado como esse de divorcio, brigas oriente a procura de um Veterinário Comportamental capacitado a avaliar a situação e ver o que é realmente melhor para o animal.

terça-feira, 28 de junho de 2016

O que pode deixar seu cão AGRESSIVO?

O que pode deixar seu cão AGRESSIVO?
Muito se fala de agressividade em cães, e isso não é nenhuma novidade, vem há tempos atrás, mesmo porque os cães são descendentes de lobo e já naquela época, ou melhor dizendo por volta de 15 mil anos atrás, a agressividade era muito evidente e protetivamente necessária. 
Com o passar dos anos os cães foram sendo domesticados e muito se perdeu dessa agressividade.
Mas em pleno 2016, sabemos que ainda existem muitos cães agressivos, e os motivos podem ser diversos.
Podemos citar pelo menos 6 tipos de agressividade ainda presentes hoje nos cães:
1-Dor
2-Dominância
3-Por alimentação
4-Disputa de território
5-Instinto de caça
6-Medo
Algumas raças devido a seleção natural e até mesmo artificial são mais agressivas que outras, justamente por terem propositalmente o instinto de dominância muito mais desenvolvido.(Somente para ilustrar os cães dominantes são os cães líderes, aqueles que protegem sua matilha a qualquer custo, literalmente com unhas e DENTES.) Entre eles podemos citar o Rotweiller.
A agressividade também pode ser estimulada por meios externos,ou seja por fatores ambientais, pela ação do homem como por exemplo o Medo, por muitas vezes causado por traumas secundários a maus tratos, insegurança.
Existe ainda a agressividade em ninhadas, entre os filhotes que é natural e necessária, para que construam com isso a hierarquia da nova matilha.
Alguns fatores do dia a dia, também levam o despertar da agressividade, principalmente em situações em que os cães são contrariados ou seja expostos a situações contra sua vontade:

- cortar as unhas

- escovação e secagem da pelagem
- banho
- exames clínicos
- limpeza das orelhas
- aplicação de medicamentos
- ser imobilizado para exames

Existe também a Agressividade por Stress, muitas vezes secundária ao confinamento, é o caso de animais mantidos em locais pequenos, presos a coleiras e até mesmo sem contato com outro animal e ou ser humano, esses animais ficam mais agressivos, devido ao constante stress pelo isolamento social e confinamento.
Aí vai uma dica, antes de adquirir um novo animal é importante conhecer o comportamento da raça, dos pais e avós se for possível, é importante se informar como esse filhotinho se comportava nas brincadeiras e brigas com os irmãos de ninhada. O ambiente que ele irá ficar na nova casa deve ser de aordo com as necessidades do animal quando adulto, em relação ao tamanho dele quando adulto e necessidades comportamentais da raça.
Independente disso todo cão deve ser socializado com outros cães e pessoas diferentes, deve ser educado, com limites firmes e muito amor. 
Os cães enxergam os seres humanos como líderes da matilha, mas se o ser humano não se impõe no cargo de liderança, rapidamente esse cãozinho pode se tornar o líder da matilha (e é tudo que ele quer) aí, a coisa fica feia....Se não for do jeito que o cãozinho quer, já era, a agressividade vem com tudo...

                                                                                   Jackline Pinto (12) 98877-1614

Médica Veterinária-Terapeuta Floral-Comportamental
floralpet@gmail.com




segunda-feira, 27 de junho de 2016

Dentro de cada cão sempre há um grande espírito

Dentro de cada cão sempre há um grande espírito



O cão é, inegavelmente, um grande amigo do homem. Chega a formar um vínculo com as pessoas que ama que é praticamente único no mundo animal, o que nos leva a pensar que dentro de cada cão há sempre um grande espírito.
Graças a sua personalidade e a sua atitude amigável e carinhosa, os cães são comumente conhecidos como o melhor amigo do homem e, ainda que isto dependa muitos das preferências das pessoas quanto a pets, não resta dúvidas de que os cães são uma grande companhia.
De fato, na história há inúmeros relatos de cães que se destacaram por sua lealdade, valentia e pelo amor incondicional que sentiam pelo dono.
O mesmo ocorre na mitologia, onde se evidenciam as características especiais dos cães, seja como temíveis protetores ou amorosos e fiéis amigos. Vejamos algumas das características que mais nos fascinam nos cães:

Sempre dispostos e cheios de energia

O caráter brincalhão dos cães é um dos elementos que mais fascina os donos, pois, a não ser que estejam doentes ou muito cansados, sempre estarão dispostos a passar bons momentos ao seu lado.
Os cães adoram correr ao ar livre, além de serem animais altamente sociais, por isso é imprescindível que os levemos para passear e que possamos permitir a eles terem experiências que alimentem seu espírito e estimulem seu desenvolvimento.
O excesso de energia, devido ao acúmulo, em especial porque não se exercitam adequadamente, pode chegar a se transformar em um problema, especialmente porque o cão não leva uma vida ativa e saudável.

Personalidade amigável

Devido à complexa estrutura social dos cães, eles são animais muito amistosos. Os cães tendem a desenvolver uma estrutura hierárquica, já foram observadas manadas com mais de cinquenta cães.
Portanto, eles precisam de um dono que possa lhes dedicar tempo, ainda que não seja vinte e quatro horas por dia, que sejam horas suficientes para compensar as que o animal passa sozinho.
A socialização nos cães é importantíssima, especialmente quando feita em idade precoce, pois assim evita que o animal desenvolva problemas de personalidade,como o estresse, o nervosismo e a agressividade.

Fiéis como ninguém

Os cães são animais muito leais, e inclusive os mais pequenos são capazes de grandes demonstrações de coragem, em especial quando se trata de proteger o dono.
Milhares de casos em que os cães ajudaram humanos nas situações mais desesperadoras ficaram famosos ao redor do mundo, mostrando que os cães são animais muito confiáveis e fiéis, inclusive após a morte.
No entanto, devido a confiança cega em seus donos, muitas vezes são vítimas de maus-tratos e não tentarão sequer se defender, pois apesar de não compreenderem o sentido do que está acontecendo com eles, pensarão que tudo está bem porque quem o maltrata é alguém que o cão considera como líder.
Por isso, você deve procurar aplicar estratégias para fortalecer os vínculos entre você e o seu melhor amigo peludo e o educar da melhor maneira. Tenha em mente que a violência e os gritos nunca serão um bom plano e, muito pelo contrário, você só conseguirá que o seu pet tenha medo de você e ressentimento.

Compreensivos

Todos sabem que os cães são capazes de interpretar o estado de humor de seus donos, de maneira que, se ele sentir que você está deprimido ou que algo acontece com você, eles tentarão te animar.
Os cães, assim como alguns primatas, são um dos poucos animais capazes de se solidarizarem com os humanos e apoiá-los socialmente.
Por isso, o ideal é que possamos retribuir isto. Não machuque o seu cão, não o isole e nem o castigue com severidade. Pense que ele precisa que você o ensine e que compreenda que durante este processo ele cometerá alguns erros, sendo assim, se encha de paciência e fortaleça o seu vínculo com ele.

Uma mente mestra

Existem raças que são melhores condicionadas para acatarem ordens, que é uma situação muito diferente.
Todos os cães, inclusive os maduros, tem a capacidade de aprender coisas novas, seja porque elas foram ensinadas ou porque eles a aprenderam do contato com o meio.
Além disso, eles são muito bons para resolverem desafios e adoram ser incitados a fazer algo.
Por tudo isto, ao ter um cão como animal de companhia, você terá não só um animal lindo que irá lhe proteger, mas também um ser que tem um grande coração e um espírito indomável disposto a estar com você até nos piores momentos.