sexta-feira, 27 de maio de 2016

GATOS ENTENDEM E COPIAM AS EXPRESSÕES DOS TUTORES

GATOS ENTENDEM E COPIAM AS EXPRESSÕES DOS TUTORES                  Luiza Fletcher

A fama de egoísta sempre pega para o lado dos gatos. Mas não é bem assim. Eles gostam tanto e prestam tamanha atenção nos tutores que até imitam seus hábitos. E não só isso. É com base nas suas reações e expressões que eles percebem o mundo – e descobrem como devem reagir às novidades.
A conclusão é de um estudo italiano. Pesquisadores convidaram 24 gatos e seus tutores para ver se os animais prestavam atenção às reações dos humanos. Cada dupla foi colocada em uma sala com um ventilador cheio de fitas plásticas verdes. A única saída de fuga da sala ficava em um ponto onde estavam uma tela e uma câmera. “A ideia era avaliar se os gatos usam a informação emocional fornecida pelos tutores sobre um objeto desconhecido para guiar seu comportamento”, diz a pesquisa.
Para isso, ao entrar na sala, os tutores observaram o ventilador de forma neutra. Em seguida, mostraram uma reação negativa (medo, afastamento do objeto) ou positiva (felicidade) – sempre olhando do gato para o ventilador e do ventilador para o gato.
Em 79% das vezes, os animais observavam o objeto e o tutor, como se tentassem entender o que estava acontecendo. Quando a expressão era negativa, os bichinhos começavam a olhar mais para a tela, onde ficava a única saída. “Era a única saída possível. Então, olhar para a tela e depois para o ventilador sugere que os gatos estavam preocupados e queriam encontrar uma maneira de fugir”, conclui a pesquisa.
É por isso que você precisa prestar mais atenção às suas reações. Se você sente medo ou raiva, seu gato pode perceber. E copiar os mesmos sentimentos.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Os cães perdem a confiança em seus donos, quando o tutor está com raiva!

Os cães deixam de confiar no seus donos quando eles estão com raiva


Embora os cães já estejam com nós por pelo menos 16.000 anos, sabemos muito pouco sobre eles, especialmente quando se trata de suas emoções. No mês passado, os pesquisadores descobriram que abraçar seu cão pode às vezes não ser uma boa ideia, e agora um novo estudo sugere que o seu cão pode realmente parar de confiar em você quando você está com raiva.

Primeiro, ele observou como os cães reagiriam a um determinado gesto, enquanto a pessoa agiu, ela se apresentava feliz. Em seguida, ele observou as reações dos cães a uma pessoa que usa um tom irritado ao agir. Ação a ser feita pelas pessoas, era apontar para um lugar desconhecido, e quando a pessoa apontou para uma área, o cão foi logo explorá-lo para encontrar o que a pessoa estava tentando informar. Esta ação, de acordo com Flom, mostra que o cão confia na pessoa o suficiente para explorar uma área desconhecida pela primeira vez. Com base em quão rápido o cão reagiu a esta sugestão, Flom foi capaz de determinar o seu nível de confiança.
É uma notícia que nos revela que realmente os cães podem identificar as nossas emoções, mas esta é a primeira vez que os pesquisadores entendem como os nossos amigos caninos realmente respondem entender as nossas mudanças de humor, e as coisas não parecem boas, especialmente se você ficar chateado com facilidade. No estudo, o professor de psicologia Ross Flom, da Universidade Brigham Young realizou dois experimentos, onde ele examinou como os cães reagiriam as emoções positivas e negativas.
Quando tudo foi feito com uma pessoa irritada, ele descobriu que os cães atrasaram suas reações. Isto sugere que os cães não confiam nos seus donos quando os mesmos se encontram com raiva. Flom conclui que os cães usam o nosso tom de emoção para determinar a rapidez de seguir uma ordem. O estranho é que, mesmo que a pessoa esteja com raiva, o cão vai sempre segui-lo


Tutores e Filhos Pets, seus Corações podem bater juntos ao mesmo tempo?

A ciência comprova  o que é sabido há muitos anos por nós:
      Quando um cão e seu humano estão juntos, os dois corações se acalmam e começam a bater juntinhos. 
Dizer que "o cachorro é o melhor amigo do homem" já virou clichê, mas não deixa de ser uma verdade gostosa.

      Vários estudos já comprovaram que os cães sentem amor de verdade pelos seus donos, que eles diminuem a ansiedade de crianças e que, em vários lugares, eles são tratados como gente. Para somar à lista, lá vem mais amorzinho: em um estudo recente, um grupo de cientistas australianos mostrou que, quando cachorro e dono estão juntos, os batimentos cardíacos dos dois entram em sincronia.
     O estudo foi assim: três cães foram separados de seus donos por algumas horas, enquanto os cientistas monitoravam os batimentos cardíacos - tanto dos bichos quanto das pessoas. Depois, os cachorros e seus respectivos humanos foram reunidos (ainda com os monitores cardíacos), e surpresa: menos de um minuto depois do reencontro, os corações dos dois se acalmaram, as frequências cardíacas diminuíram e os batimentos começaram a se espelhar.
      E sabe o que é ainda mais fofo? Os cientistas que conduziram o experimento também mediram os batimentos enquanto cada humano encontrava outro cão que não o dele, e perceberam que, aí, os dois corações não entram em sincronia. Apesar de a frequência cardíaca diminuir nessa situação, esse "espelho cardíaco" só parece acontecer quando há uma ligação especial entre cachorro e dono.
Um estudo como esse não é só adorável: ele é importante para encontrar novas formas de lidar com o stress. Estudos anteriores já mostraram que quem tem um cachorro é menos estressado, menos ansioso e tem uma imunidade muito melhor. Para os cães, a relação também é proveitosa: quando sentem o cheiro do dono, o cérebro deles ativa uma área associada ao prazer, o que combate doenças como depressão e ansiedade.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Ansiedade de Separação

Ansiedade de Separação

     Muito se fala sobre a Síndrome de Ansiedade de Separação e pouco se conhece. Essa síndrome é uma doença emocional, ou seja um desequilíbrio comportamental que vem em grande crescimento nos últimos anos, principalmente desde que os cães viraram membros de nossa família e esta agravou pelo modo de vida moderno, muito atribulado dos proprietários (trabalham o dia todo fora) e não podemos esquecer das nossas carências como seres humanos que nos faz tratar nossos cãezinhos como verdadeiros “Filhos Pet”

      Sabe-se que a humanidade está cada vez solitária, individualista, não por opção, mas sim pela necessidade dos tempos modernos em trabalhar mais e, como consequência, lucrar mais e “ser mais feliz”. Esse comportamento necessita de uma válvula de escape, pois não se vive só, sem família por perto ou sem amigos. É no âmbito deste sentimento de solidão e carência é que algumas pessoas adquirem o animal de estimação e fazem deste o centro de suas atenções quando estão juntos. Dormem juntos, comem juntos, muitas vezes compartilhando da mesma alimentação, proporcionando uma relação de codependência (dependência mútua). 
     Na maioria das vezes, essa atitude de acolhimento e carinho que o proprietário tem para com o cão é algo que se faz inconscientemente, na tentativa de preencher algum espaço de carência e em retribuição á isso o proprietário precisa recompensar o animal. Aí mora o problema! 
     Não cabe a mim nenhum julgamento a qualquer proprietário sobre esse tipo de atitude, pois se o mesmo não tem consciência disso, nem muito menos o que pode causar para o cão, ele não é o culpado, apenas não sabe e o faz na melhor das intenções.  
     Porém, diante de uma relação extremamente dependente temos como resultado exatamente a dependência extrema. Parece redundante, mas não é?
Muitos sabem disso , mas não conseguem entender. O importante a dizer é que o cãozinho precisa ser e estar feliz sem a presença do dono, e isso não é tão difícil quanto parece.
A psicóloga canina é a pessoa especializada que irá identificar a situação e orientar a melhor forma para modificar o comportamento errado.
Um dos principais sintomas que o proprietário percebe quando o animal possui esse desequilíbrio comportamental são latidos excessivos, portas destruídas, destruição do sofá, salivação intensa, entre outros.

Cuide do seu “Filho Pet” ele depende de vc, e só você poderá ajuda-lo, contrate um profissional para auxilia-lo.


Cães com Problemas Emocionais de quem é a culpa?

Cães com Problemas Emocionais



     A maioria dos comportamentos dos cães foram ensinados por nós, seus tutores. Mesmo que seja de forma imperceptível, por muitas vezes estimulamos comportamentos errados e tentamos corrigi-los de forma inadequada.


     Os problemas comportamentais infelizmente são causados pelos seus tutores, por ingenuidade acabam educando-os de maneira errada, consequentemente causando aos nossos amigos pet, problemas como ansiedade, hiperatividade, agressividade, medos, dentre outros.
 
     Cada vez mais os humanos tratam seus cães como filhos, o que nós especialistas chamamos de humanização, que consiste em atribuir aos animais características e sentimentos humanos. A ligação emocional com os cães está aumentando cada dia mais e muitos donos enxergam seus cães como uma fonte de suprimento para suas carências afetivas.
 
     Diante desse tratamento humanizado, os instintos, as necessidades básicas dos animais podem ser esquecidas. Os cães querem e precisam que nós humanos mandemos nele, ou seja, 
você precisa ser o líder da matilha para seu cãozinho. Se o dono não sabe o que quer do cão e nem o que o cão o que esperar de seu dono, a confusão está criada. O animal não vai saber como se comportar. Além disso, os animais de estimação são obrigados a se adequarem ao estilo de vida de seus donos, infelizmente no mundo de hoje, as pessoas estão cada vez mais consumidas pelo trabalho, sem tempo para o “filho Pet” e ao chegarem em casa, não se dão conta de que seu querido cãozinho passou o dia inteiro sozinho, entediado, enclausurado dentro de casa ou em um quintal. É inevitável então a frustração do animal  e com isso os cãezinhos para passar o tempo, ou muitas vezes para chamar a atenção de seu dono. Começa a rasgar roupas e sapatos, faz xixi no sofá, uiva e late excessivamente, dentre outros. 

     Acredita-se que 42% dos cães tenham algum tipo de problema comportamental.
 
     Outra questão a ser levada em consideração já foi provada pelos cientistas. O temperamento do cão é diretamente influenciado pela personalidade do dono
Donos carentes e/ou inseguros têm cães mais ansiosos e agressivos, independentemente da raça. Mimar demais o cachorro, como é comum hoje em dia, também faz muito mal para o cão. Quando o dono é muito apegado, aumenta o risco de que o cão desenvolva síndrome de separação.
 
Para que o seu cachorro seja independente e feliz, você precisa saber o que pode e o que não pode fazer. Para que ele tenha uma vida saudável, você precisa ser saudável. Assim, uma relação harmônica entre cão e dono depende de algo simples: respeite as necessidades básicas de seu cão para que ele possa realmente viver 
como tal.

E busque orientação com uma Psicologa Canina par orientar e tratar comportamentos inadequados.

Por que procurar a Psicóloga Canina?

 
   Os cães principalmente hoje em dia, com o fato de humanizarmos demais os nossos “Filhos Pet”, apresentam vários problemas comportamentais, e todos esses têm apenas três pontos de origem: CONFLITO, FRUSTRAÇÃO e MEDO.
     Os comandos de adestramento são ótimos para reforçar para o cão, o tutor como líder da matilha, também para diminuir a ansiedade dos cães, mas pensar que somente os comandos resolverão todos os problemas comportamentais é um grave erro.
    Um mau comportamento é apenas um sintoma de uma das três causas acima. (conflito ,frustração e medo), consequentemente, apenas tratá-lo isoladamente não resolverá o problema na origem. O comportamento que desagrada o tutor por muitas vezes não é o real problema e sim um sintoma de um grave problema. 
    Somente usando a psicologia canina é possível tratar o problema na raiz, eliminando as suas causas fundamentais e reequilibrando o cão.
Podemos associar à Terapia Comportamental os Florais de Bach, pois atuam equilibrando o emocional,  e juntamente com esses poderemos aí sim agregar o adestramento.
Com esse tripé de Avaliação Comportamental+ Florais de Bach+ Adestramento teremos com certeza um excelente resultado.

 
    Um cão mal comportado é um cão desequilibrado. Apenas satisfazer a vontade do tutor sem reequilibrar o cão não terá eficiência a médio e longo prazo. 

    A maneira mais humana e justa de ajudar um cão com problemas é usando a psicologia canina para reabilitá-lo definitivamente.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Revista Veja- Juiz determina guarda compartilhada de cão em processo de divórcio...

Magistrado alegou que animal não poderia ser vendido para que o dinheiro fosse repartido entre o casal

Cachorro
Cachorro(Thinkstock/VEJA)
O juiz Fernando Henrique Pinto, da 2ª Vara da Família e Sucessões de Jacareí, interior de São Paulo, determinou, por meio de liminar, a guarda compartilhada de um cão entre seus donos, que estão em processo de separação judicial. Pela decisão, o cão passará uma semana na casa de cada um.
O magistrado comparou a questão à decisão sobre a guarda de um humano incapaz. No despacho, Pinto cita estudos científicos sobre o comportamento animal e alega que o cão não pode ser vendido para que a renda seja repartida igualmente entre o casal.
Citando leis relacionadas ao tema, ele afirmou: "Diante da realidade científica, normativa e jurisprudencial, não se poderá resolver a 'partilha' de um animal doméstico, por exemplo, por alienação judicial e posterior divisão do produto da venda, porque ele não é mera 'coisa'. Como demonstrado, para dirimir lides relacionadas à 'posse' ou 'tutela' de tais seres terrenos, é possível e necessário juridicamente, além de ético, se utilizar, por analogia, as disposições referentes à guarda de humano incapaz". A ação tramita em segredo de Justiça por se tratar de Direito de Família.

Blog dos Florais

Conheça o Trabalho da Dra.Jackline Pinto com os Florais, click aqui!

Entrevistas

Livro Florais para Cães- Tratando o comportamento animal com os Florais de Bach

Florais para cães, Dra. Jackline Pinto – lançamento da Butterfly Editora – 

É um livro prático, muito útil e encantador. Revela o carinhoda autora e o respeito que sente pelos animais. Destina-se a leitores igualmente sensíveis e dedicados que elegeram por seus amigos os cães de estimação e com os quais compartilham o seu lar. Médica veterinária especializada na utilização dos Florais de Bach, Dra. Jackline obteve grande sucesso em sua aplicação na sua área de atuação. Foram esses resultados positivos que a motivaram a escrever Florais para cães, um compêndio fácil de ser consultado, leitura simples e agradável, ao alcance de todos aqueles que desejam cuidar melhor da saúde de seus cães, seja qual for sua raça. Se esse é o seu caso, descubra neste livro o poder regenerativo dos Florais de Bach, desenvolvidos por Edward Bach (1886–1936), médico homeopata que descobriu que as flores silvestres são portadoras de energia capaz de restaurar o equilíbrio físico, mental e emocional. Segundo os estudos e a experimentação de Dra. Jackline, “os florais não interagem com medicamentos e não possuem efeitos colaterais, portanto são seguros”, e, ainda de acordo com a veterinária, “podem ser usados por todos os seres, incluindo os animais”. 

Problemas Comportamentais


O tutor deverá pedir ajuda ao Terapeuta Comportamental quando tiver qualquer dúvida em relação a educação e comportamento de seu Filho Pet.

Esses são apenas alguns exemplos:

Depressão- Hiperatividade-Dificuldade em ensinar a fazer xixi e cocô no lugar certo- Destruidores- Não conseguem ficar só- Comem as fezes- Ciumentos- Late muito- Lambe muito as patas- Carência- Submissão- Tristeza sem motivos-Agressivos....
Abaixo explicamos melhor...

4 Tipos de Terapia Comportamental

Possuímos 4 Tipos distintos de Terapia Comportamentais- Florais:

a) Terapia Floral com Dicas Comportamentais Online ou Domiciliar (maiores informações nas postagens abaixo)

b) Terapia Floral sem as Dicas Comportamentais Online ou Domiciliar (maiores informações nas postagens abaixo)


c)Terapia Comportamental Domiciliar  (maiores informações nas postagens abaixo)

d) Jurídica- Terapia de Avaliação Comportamental em Divórcios ou rompimento de relações somente Domiciliar  (maiores informações nas postagens abaixo)



As terapias Online são realizadas pelo Skype.

As terapias Domiciliares serão realizadas na residência do animal. Atendemos em todo Brasil.


Entre em contato conosco

Atenciosamente Dra.Jackline Pinto e Equipe

Valores

Os Valores serão passados pessoalmente, e estes variam de acordo com a Terapia Comportamental e ou Floral.

Por favor entre em contato conosco, tiraremos as dúvidas e agendaremos o melhor horário.

(11)96777-5261  (12) 98877-1614

e-mail floralpet@gmail.com

Contato



Nossos contatos estão à disposição para qualquer dúvida ou esclarecimento.
Será um prazer ajudá-los.

Atenciosamente Dra.Jackline Pinto e Equipe

(11) 96777-5261
(12) 98877-1614

e-mail: floralpet@gmail.com
            
                                                   www.floraisparacaes.blogspot.com 

O que são os Florais de Bach?

Florais de Bach Para Animais


       Muito se fala hoje sobre as emoções e sobre o bem estar animal.
Os animais sentem, são seres vivos e se emocionam  é comprovado cientificamente por vários neurocientistas.
     Possuem lindos sentimentos positivos, entre eles o que sempre buscamos e sabemos que nunca encontraremos o famoso “Amor incondicional”, mas infelizmente também apresentam os sentimentos negativos, sentem raiva, ciúmes, perdem controle, são carentes, sentem medos...
Podemos ajuda-los utilizando as essências florais. Os florais de Bach são essências retiradas de flores que atuam no campo energético equilibrando as emoções que estão em desarmonia.
 Os Florais receberam nome de Florais de Bach, em homenagem ao seu descobridor o Dr. Bach. Ele foi um médico Inglês homeopata e em seus estudos descobriu as 38 essencias dos florais no início do século XX. Em seus estudos destacou o fato de que  “ Animal emocionalmente equilibrado é um animal fisicamente saudável” e isso também se aplica a nós seres humanos. Segundo Dr. Bach o desequilíbrio no emocional abre porta para o surgimento de doenças físicas.
     No tratamento com os florais para que este tenha sucesso é importantíssimo uma avaliação exclusiva e minuciosa do animal e de sua família para a escolha da correta e exclusiva formulação.
Os animais reagem bem mais rapidamente aos florais que os seres humanos, justamente por não colocarem barreiras conscientes negativas.
Como terapeuta floral pensando no animal como um todo, no novo contexto familiar que hoje vivem (família multiespécie* é importante tratar seu emocional para que este viva bem e feliz na sua família,
Os Pais de Pet também devem utilizar os florais, pois uma mudança gera mudança no outro e todos deverão estar em equilíbrio emocional.

 Desequilíbrios emocionais equilibrados com os Florais de Bach :
Cães que:
Latem demais? Comem as fezes (coprofagia) ? Lambem as patas? Fazem xixi e cocô no local errado? Depressivos? Agressivos? Hiperativos?
Não conseguem ficar só? Dependentes? Mimados?

*Família multiespécie-família constituída por mais de uma espécie no convívio diário.

Dra. Jackline Pinto
Méd.Veterinária- Terapeuta Floral e Comportamental
(12)98877-1614  (11)96777-5161

e-mail: floralpet@gmail.com

Como é feita a Consulta Floral com ou sem dicas Comportamentais?

Terapia Pet Floral Online 

Nessa correria do mundo moderno, busquei e encontrei uma forma de poder estar ajudando as pessoas de uma forma mais prática e viável e com o mesmo carinho e cuidado que sempre dediquei pessoalmente aos meus pacientes e clientes. Podemos conversar por email, Skype ou telefone. Aguardo o Contato. 
Abraço Jackline Pinto

Temos dois tipos de Terapia Floral:
 Com Dicas Comportamentais e Sem Dicas Comportamentais, escolha o que melhor lhe convir , abaixo maiores informações.

A-O que é a Terapia Pet Floral com Dicas Comportamentais?

A Terapia Pet Floral Online consiste em uma avaliação minuciosa do animal no meio em que está inserido, desde seu nascimento até o momento presente. Essa avaliação dura por volta de 1 a 2 horas e durante esta serão indicadas algumas dicas para mudanças comportamentais e também os Florais específicos para o animal e sua família.
As alterações comportamentais são muito importantes e complementares, pois aceleram o efeito dos Florais. Quando temos um comportamento que reforça o que está errado, ele irá trabalhar de forma oposta à ação dos florais podendo por muitas vezes impedir o resultado positivo almejado pela utilização dos Florais.
Nessa terapia indico também os florais para os "Pais de Pet", para que a mudança seja harmônica e em todo meio no qual o animal está inserido. Poderemos conversar por Skype,email ou telefone. 

Click aqui, vc será direcionado para a página dos Florais onde consta os valores e opções de pagamentos.


-----------------------------------------------------------------------------------

B- Como é a Terapia Pet Floral online sem Dicas Comportamentais?

A indicação online dos Florais para seu Pet, consiste na avaliação, orientação de como utilizar e na indicação dos melhores Florais de Bach para equilibrar as emoções em desequilíbrio de seu pet, também serão indicados os Florais de Bach para os Pais de Pet, pois não só o animal mas todos que com ele convivem deverão ficar em equilíbrio. Essa avaliação será realizada pela Dra. Jackline Pinto e terá durabilidade média de 20 minutos. Poderemos conversar por Skype,email ou telefone. 




Como é feita Avaliação Comportamental em Divórcios ou Rompimento de relações?

Avaliação Comportamental para fins de Acordos ou mesmo para fins Jurídicos em casos de Divórcio ou Rompimento de relações:


  A avaliação comportamental deve ocorrer através de uma anamnese detalhada do seu “filho pet”, visando um profundo conhecimento do animal no meio no qual está inserido. Nesta avaliação poderemos observar também se há algum problema comportamental. Se este houver podemos trata-los com dicas comportamentais e até mesmo utilizando os Florais de Bach, se assim o “Pai de Pet” desejar.
    A avaliação comportamental é realizada a domicílio, pois devemos observar o paciente em seu ambiente habitual e suas relações com pessoas e outros animais com os quais exista convívio.
   Durante a primeira avaliação comportamental para fins jurídicos, que tem duração média de 08 (oito) horas, busca-se observar o comportamento do animal (normal e problemático), assim como sua relação com todos que com ele convive. Nesse primeiro momento, tenta-se identificar afinidade, dependência, meios pelo qual são corrigidos, e ensinados, também estímulos motivadores e desencadeadores do comportamento em desequilíbrio se este houver.
   É importantíssimo que a família mantenha suas atividades normais, para que o animal se sinta á vontade e consiga da forma mais natural possível ser quem ele realmente é no ambiente no qual vive.
Os relatos da família contribuem grandemente pois complementam o que não podemos observar em apenas um dia.
     Se o animal tiver algum problema comportamental o longo da consulta, é explicado qual o melhor tratamento para aquele caso, considerando o animal, a família, o ambiente, etc. Esse tratamento será apresentado a família em detalhes e discutido por todos, até que se chegue a um consenso sobre como vai se dar, exatamente, e se iremos usar os Florais de Bach.
      Independente da avaliação comportamental judicial que será realizada nas 8 horas do dia de observação, podemos se assim for necessário agendar novas sessões complementares, essas sessões são mais rápidas por volta de 30 minutos à 1 hora e poderemos faze-las até mesmo via online, para acompanharmos o progresso do tratamento  ou até mesmo mudar algumas dicas comportamentais e ou mudar também os Florais de Bach.
   Os Florais de Bach são excelentes durante toda mudança comportamental pois faz com que o animal se mantenha em um equilíbrio emocional, mesmo durante as mudanças comportamentais. Segundo Dr. Bach o descobridor dos Florais de Bach, “Todo desequilíbrio no emocional dos seres vivos, abrem portas para desenvolvimento de doenças físicas”, explica-se então a importância da utilização dos Florais de Bach nas alterações comportamentais.


A necessária superação da visão de pet ser coisa


Dois cachorros e um divórcio. Um para cada um? A necessária superação da visão de pet ser coisa


Por redação – 09/09/2015
Por liberalidade, o caos do cotidiano moderno levou muitos casais a optarem ter animais de estimação em vez de crianças. Segundo recentes dados do IBGE, os brasileiros possuem mais cães e gatos do que crianças. Indicadores financeiros demonstram que esta é uma opção de vida cada vez mais frequente, pois o mercado de consumo de bens para animais de estimação cresce num ritmo acelerado. Pululam estudos científicos a demonstrar que os animais de estimação como cães e gatos são seres conscientes e sencientes (capazes de sofrer), e que o compartilhamento de vida com esses seres melhora a saúde física e mental dos humanos.
Pois bem. Alheio a essa nova realidade, em recente decisão de um Tribunal de Justiça, em ação de divórcio (processo 2014.045256-3), o julgador, após questionar “quanto custa para a sociedade brasileira resolver essa questiúncula”, com a intenção de extrair às partes algo proveitoso do litígio instaurado, fez questão de consignar que resolveria o mérito da ação “com a solução fria e técnica do Direito”. Partilhou, assim, dois cachorros como bens móveis: um para cada cônjuge.
O Direito, como um apanhado de regras compiladas e sistematizadas é algo frio, não passa de letras insertas em papel, daí a importância da moral e da ética. Porém, são verdadeiras as situações a que ele são submetidas, e qualquer ação levada a juízo merece, no mínimo respeito e atenção, pois trata-se do maior problema daquelas pessoas. Como mencionado no livro Guarda de Animais nos Casos de Dissolução Litigiosa da Conjugalidade (ZWETSCH, 2015): “o rompimento da sociedade conjugal é um momento difícil para qualquer casal, e se a situação do animal de estimação é controvertida a ponto de ser levada para que um terceiro sobre ela decida, o mínimo que se espera de um Magistrado é que ele possua sensibilidade para perceber o quanto isso é importante para aqueles litigantes e para aquele animal.”
Culpar duas pessoas que não chegaram a um consenso sobre quem fica com os cachorros que fizeram parte da família desfeita, de forma explícita, não extingue e nem minimiza a morosidade ou outras falhas da prestação jurisdicional. Além disso, certamente não é esse tipo de ação que assoberba os cartórios e gabinetes judiciais. Foi-se o tempo em que o Direito era visto sob a ótica exclusiva do direito das coisas. O Direito está impregnado de sentimentos e são esses não podem ser desconsiderados por questões pessoais.
Na decisão mencionada, o julgador, embora reconhecendo a existência da relação afetiva que existe entre os seres humanos e os animais “irracionais”, referencia que “a legislação brasileira não tem previsão que estabeleça a partilha de animais de estimação considerando-se exclusivamente o afeto existente entre o dono e seu cão”. Por certo a guarda de animais de estimação reclama uma urgente regulação legislativa, contudo, na sua falta, considerar o bem estar do animal para definir sua guarda não ofende qualquer normativa.
Isso porque, como nada existe sobre o tema, é muito mais próximo da atual realidade que vivenciamos deferir aos animais o tratamento atinente à guarda de filhos do que lhes tratar como bem semovente. Aliás, esse posicionamento confere respeito aos anseios destes jurisdicionados.
No caso concreto, não regulado por qualquer regra específica, houvesse a questão sido tratada de forma mais respeitosa, qual ofensa haveria manter os cachorros no ambiente em que estavam acostumados e bem tratados, e estipular direito de visitação da mulher aos animais? Na falta da lei, trata-se de uma questão de escolha. Trata-se de uma questão de posicionamento. De sensibilidade: “… para dirimir a controvérsia da qual estamos tratando, é preciso sensibilidade, especialmente porque, na relação do homem com seu animal de estimação, existe, além de afeto recíproco, uma relação de interdependência entre todos os envolvidos. Ao passo que o pet supre determinadas necessidades emocionais humanas, as pessoas tornam-se diretamente responsáveis pela satisfação das necessidades vitais e básicas do animal.” (ZWETSCH, 2015)
Para encerrar, voltemos, então, à indagação primeira do eminente julgador: “quanto custa para a sociedade brasileira resolver essa questiúncula”. Pois bem. Não há dinheiro que pague chegar em casa e ser recebido por um animal que anseia o dia inteiro para vê-lo. Ao contrário de muitos humanos, nenhuma soma, presente ou promessa corrompe a lealdade desse animal “irracional” quanto ao seu guardião. Não existem palavras que possam explicar o amor que esses animais despertam nas pessoas, e tampouco desenhos podem traduzir esse afeto. Trata-se de amor, e nenhum tipo de amor é melhor ou maior.
 “É importante lembrar a necessidade de um terapeuta comportamental para analisar a situação do “filho pet” de forma individual, preservando assim o bem estar do animal, que aos olhos de quem os ama, é apenas uma vítima nas desilusões amorosas dos seres humanos” Dra. Jackline Pinto

Como usar os Florais de Bach?

Os Florais de Bach são 38 essências florais, descobertas entre 1928 e 1936, pelo médico homeopata Dr. Edward Bach, essas essências são extratos líquidos naturais e altamente diluídos de flores, plantas e arbustos, no qual cada uma delas é destinada ao equilíbrio dos problemas emocionais. O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções dos seres vivos.
         Para indicar os Florais de Bach de forma correta e assertiva devemos levar em consideração sempre o momento e a situação no qual o animal está inserido, essa avaliação, deve ser realizada por um Terapeuta Floral Veterinário, de forma bem minuciosa e individual. Após essa extensa avaliação o Terapeuta irá prescrever a melhor formulação. É importante ressaltar que em uma formulação podemos adicionar até 7 essências diferentes dos Florais de Bach, um outro ponto a ser destacado é que a manipulação da fórmula dos Florais de Bach para os animais deve seguir o protocolo de concentração de 10% de veículo alcoólico, o que difere dos florais para seres humanos, cuja diluição é a 30% de veiculo alcoólico. Essa formulação deve ser preparada em uma farmácia de manipulação de sua confiança. Os animais devem tomar 4 gotas 4 vezes ao dia, ou 10 gotas em água mineral no bebedouro, onde o animal poderá tomar ao longo do dia. Nos tratamentos com os Florais de Bach o animal deverá ser reavaliado ao término de cada frasco, ou seja por volta de 20 dias, para que o Terapeuta Floral possa prescrever uma nova formulação ou até mesmo manter a mesma, dependerá do resultado da reavaliação.
              Os animais reagem bem mais rapidamente aos florais que os seres humanos, justamente por não colocarem barreiras conscientes negativas.
            Pensando no animal como um todo, vemos como é importante tratar seu emocional para que este viva bem e feliz na sua família. Ressaltando o fato de que a mudança no animal, gera uma mudança externa, por isso é importante que toda família também tome os Florais para que todos estejam em equilíbrio.
        A utilização dos Florais de Bach está cada vez mais sendo difundida.
Nos cães algumas doenças emocionais são secundárias a humanização, elas são mais comuns em cães e podemos observar com muita frequência. Uma dessas doenças tem um grande destaque hoje em dia, é chamada de Ansiedade de Separação, seus sintomas aparecem principalmente  quando o cãozinho é deixados só, ou seja sem a companhia do ser humano, essa doença emocional é muito grave e muito comum, na próxima matéria falaremos sobre ela, e daremos algumas dicas comportamentais para que possamos ajudar nossos amados cãezinhos!! Aguarde...
Dra. Jackline Pinto é Médica Veterinária - terapeuta floral e Comportamental
e-mail: floralpet@gmail.com



terça-feira, 3 de maio de 2016

Justiça- Divórcio

Avaliação Comportamental para fins de Acordos ou Jurídicos:

Sempre que houver desentendimento familiar, relacionado a divergências de convivência, por dificuldade em consenso de visitação, ou até mesmo proibição de contato com o  “filho Pet”, deverá solicitar com urgência o acompanhamento da terapeuta comportamental. Não esquecendo jamais,  que a prioridade nesse tipo de conflito é inegavelmente o bem estar do “filho Pet”, é nele que iremos focar, pois é a principal vitima da situação. Não devemos esquecer que é cientificamente comprovado que retirar o animal do contato de seus familiares, de forma abrupta pode levar a estados de tristeza, depressão, doenças físicas e até mesmo em casos extremos à óbito.
Agende um horário podemos lhes ajudar!